domingo, 7 de dezembro de 2008

Cântico Negro

"Vem por aqui" - dizem-me alguns com os olhos doces
Estendendo-me os braços, e seguros
De que seria bom que eu os ouvisse
Quando me dizem: "vem por aqui!"
Eu olho-os com olhos lassos,
(Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca vou por ali...

A minha glória é esta:
Criar desumanidade!
Não acompanhar ninguém.
- Que eu vivo com o mesmo sem-vontade
Com que rasguei o ventre à minha mãe

Não, não vou por aí! Só vou por onde
Me levam meus próprios passos...

Se ao que busco saber nenhum de vós responde
Por que me repetis: "vem por aqui!"?

Prefiro escorregar nos becos lamacentos,
Redemoinhar aos ventos,
Como farrapos, arrastar os pés sangrentos,
A ir por aí...

Se vim ao mundo, foi
Só para desflorar florestas virgens,
E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada!
O mais que faço não vale nada.

Como, pois sereis vós
Que me dareis impulsos, ferramentas e coragem
Para eu derrubar os meus obstáculos?...
Corre, nas vossas veias, sangue velho dos avós,
E vós amais o que é fácil!
Eu amo o Longe e a Miragem,
Amo os abismos, as torrentes, os desertos...

Ide! Tendes estradas,
Tendes jardins, tendes canteiros,
Tendes pátria, tendes tectos,
E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios...
Eu tenho a minha Loucura!
Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,
E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios...

Deus e o Diabo é que me guiam, mais ninguém.
Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;
Mas eu, que nunca principio nem acabo,
Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo.

Ah, que ninguém me dê piedosas intenções!
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou.
É uma onda que se levantou.
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
- Sei que não vou por aí!

José Régio



Emoções sentidas... Enormes recordações!!

9 comentários:

XS disse...

Belo exemplar da obra do poeta!
Que ao menos saibamos o que não queremos, já é um começo!
Boa semana!

Vieira Calado disse...

É sempre bom relembrar.

Bjs

Tinta Azul disse...

Um grande cântico!
Bjs

:)

Marco Rebelo disse...

josé régio..grande poeta :)

Capitão Merda disse...

Sim, palavras sempre actuais...

José Veloso disse...

Pois, eu também sabia muita coisa... agora sei que nada sei...
Já não há Homens como José Régio...
Tudo de bom
jv

André Couto disse...

O que eu gosto deste poema...
Tens um excelente blogue. Voltarei.

Cumprimentos.

OnlyMe disse...

XS, eu descobri este poema ainda era mt jovem e desde logo me identifiquei com ele talvez devido a querer ser eu mesma, sem influências de ninguem.
Uma boa semana tb pra ti.
Jinhos :)

Pois é, Vieira Calado e acredita que este me trás mtas e gratas recordações. Obrigado pela visita.
Jinhos :)

É um dos meus preferidos, Tinta Azul.
Jinhos pra ti :)

Marco, completamente de acordo.
Obrigado pela visitinha.
Jinhos :)

Capitão, sabes que eu gosto mto de palavras e se forem actuais, tanto melhor! lol
Jinhos :)

Sabes uma coisa José?... acho que são horinhas de ir dormir!! :P
Jinhos :)

André, eu nao gosto deste poema... eu adoro este poema!! ;)
Obrigado pela visitinha. Fico feliz por teres gostado.
Jinhos :)

rouxinol de Bernardim disse...

Sempre novo, sempre actual!